Histórias d’África – Imagens impactantes, qui çá sublimes misturam-se com a angústia de milhares

PUB

25 Dia: mais uma jornada complexa: Ascensão do magma à superfície continua num vulcão que perece manter uma espécie de arrufos. Já é difícil precisar o número de bocas activas, pois o cone do vulcão derrubou-se, abrindo mais duas estradas de lava – como que um delta – preocupantes do ponto de vista destrutivo.

Mas é importante que de fora se detenham que este fenómeno da natureza ocorre no Oeste Centro-Sul da ilha e que isso permite afirmar que entre os 80 e 85% do território de La Palma é perfeitamente seguro. O tráfego marítimo mantém-se com especial atenção para as travessias de ferry, e os voos registam algumas suspensões pontuais quando se revela obrigatória maior atenção na limpeza da pista por questões de segurança. A capital da ilha, Santa Cruz de La Palma, está precisamente do lado oposto à localização do vulcão junto à Cumbre Vieja.

Perderam-se 90 hectares de invernadeiros de bananas – plataneiros – no valor de cerca de 40 milhões de euros. Mas são 591 Hectares perdidos no total, ou seja 5.910.000 metros quadrados que foram ocupados pela lava magmática.

As claves das últimas horas:

  • 1.186 Edifícios habitacionais arrasadas, até ao 23º dia da erupção. São na maioria vivendas ou habitações individuais ou imóveis de dois pisos.
  • 100 Outras habitações em risco máximo de também ficarem sepultadas debaixo das estradas de lava.
  • 591 Hectares perdidos, ou seja 5.910.000 metros quadrados que foram ocupados pela lava magmática. Trata-se do último número anunciado pelo PEVOLCA, Plano de Emergências Vulcânicas das Canárias sob a gestão “Dirección General de Seguridad y Emergencias del Gobierno de Canarias”.
  • Perderam-se 90 hectares de invernadeiros de bananas – plataneiros – no valor de cerca de 40 milhões de euros. O centro Oeste da ilha é a área mais rica para a produção de bananas de todo o arquipélago e de todas as regiões produtoras deste fruto geridas por países europeus.
  • A península criada pela lava no mar, ascende aos 340.000 metros quadrados. Dificilmente aumentará à vista no seu comprimento, apenas podendo alargar-se. Isto fica a dever-se à proximidade do abismo submarino que desce dos 800 aos mais de 2.000 metros de profundidade.
  • Nas próximas horas é expectável que a segunda estrada de lava magmática, a Norte se precipite sobre o mar. Ainda assim, este caminho – conhecido como “Colada de La Laguna” – é a mais preocupante porque reduziu a velocidade de progressão, alargando-se no terreno e crescendo em altura. Destrói mais e faz temer o pior no que respeita ao aumento do número de casas a ficarem subterradas pela lava, principalmente nos aglomerados populacionais envolventes a La Laguna. Este facto mantém mais 6.500 pessoas evacuadas.
  • 25º Dia da erupção também fica assinalado por mais um tremor de terra à escala de 4,4 à escala de Richter, o de maior magnitude desde o início da crise sísmica que antecedeu a erupção do passado dia 19 de Setembro. O sismo teve o epicentro sob o município de Mazo, a 35 quilómetros de profundidade. A crise sísmica de origem vulcânica mantém-se com maior ou menor intensidade, desde à 5 semanas.
  • A coluna de gases e cinzas atinge os 3.500 metros de altura. No entanto, parte importante do que se designa por cinzas são mais piroclastos, ou seja ligeiramente maiores do que se considera cinza. Por efeito dos ventos alísios e basicamente de Nordeste ou Norte, os gases e a emissão dos piroclastos é mais baixa e em maior extensão obrigando a confinamentos de algumas populações dos maiores aglomerados habitacionais vizinhos como dos municípios de El Paso e Los Llanos de Adriane.
  • O vulcão de La Palma está a libertar 17.000 toneladas de dióxido de enxofre por hora. Este valor antevê que a erupção vai continuar já que a aproximação do seu termo significaria que a libertação de enxofre não seria superior às 170/180 toneladas por hora.
  • Primeiro, 214 Milhões de euros, mas dia 13 de Outubro, Pedro Sánchez de regresso a La palma, pela 4ª vez, anuncia 300 milhões como sendo a cifra que o governo da Nação dispõe para acudir aos estragos provocados pela catástrofe. Destes 60 milhões serão destinados á criação de emprego.Pergunta-se é qual é o emprego que se pretende criar e como será possível reconstruir tudo o que já se perdeu com 240 milhões de euros. Os palmeiros estão nas mãos dos familiares, amigos e de todas as organizações solidárias que se juntam em arranjar fundos. Até ao momento quase nenhumas ajudas governamentais.

As ilhas Canárias, particularmente La Palma, Hierro e Tenerife são áreas vulcânicas activas, onde o magma das profundezas ainda pode ascender à superfície e isto pela juventude da formação das ilhas: Hierro terá 800.000 anos, La Palma 1,5 milhões e Tenerife 7,5 milhões, enquanto Fuerteventura tem 20,5 milhões; Lanzarote 15,5 e Gran Canária 14,5 milhões de anos. Contudo, devemo-nos fixar de que a última erupção geradora de território absoluto, em Tenerife, aconteceu apenas há 3,5 milhões de anos.

Sob o vulcão, o magma acumula-se em reservatórios e é transportado por dutos, ou diques, como se fossem as artérias do próprio vulcão. A viagem ao exterior não é inteligível nem previsível, mas actualmente conta-se com dispositivos sofisticados de monotorização observados por cientistas e investigadores nas áreas da sismologia, vulcanologia e geologia e com a ajuda imprescindível da própria sismicidade e das deformações da crosta terrestre que são avisos prévios das erupções.

– por José Maria Pignatelli (Texto não está escrito ao abrigo do novo acordo ortográfico)

PUB IMDENTALCARE