Histórias d’África – Vulcão de La Palma mostra quão pequeninos nós somos

PUB

O Mundo dos pequeninos somos nós, os humanos, incapazes de dominarmos a natureza mesmo com a tecnologia que nos vangloriamos em concretizar. Faz hoje, dia 27 de Setembro, 8 dias que ao pensamento me saltam recordações de criança: Como era fácil deitar a baixo castelos de areia que fazia na praia; demolir uma construção Lego; colocar à frente de uma ventoinha, para as desmanchar, as construções de cartolina das casas de Portugal que comprava na papelaria Alvalade ou que se recortavam das caixas dos cereais que comprava na mercearia do Sr. Anselmo.

Aqui, ao meu lado, quase a meio do Atlântico subtropical, a 138 quilómetros do meu bairro tenerifeño, ouviu-se o rugido do leão e a lava de um vulcão previsível derrete e engole todas as construções por onde passa, em escassos segundos. Já varreu literalmente as histórias passadas, o presente e parte do futuro de dezenas de famílias. Desapareceram mais de 500 edificações e 24 quilómetros de estradas e os desalojados ultrapassam os 6.000. Desaparece 40% das plantações de bananas da ilha. Mas ao início da madrugada de hoje o enorme rugido do leão deixou de se ouvir: o vulcão silenciou-se pela primeira vez.

O Oeste centro e Sul de La Palma – a Isla Bonita de Madonna – converte-se num cenário sobrenatural que nos assalta pela inquietação dos danos extremos e por uma espécie de misticismo de um fenómeno natural tremendamente poderoso. O vulcão do Parque Natural da Cumbre Vieja poderá não nos deixar em paz entre os próximos 24 a 84 dias. As incertezas são imensas.

Mas esta é a condição que torna a natureza do arquipélago das Canárias imaginária com recantos ímpares e 8 ilhas completamente diferenciadas, a merecer vivamente que as pessoas do Mundo as conheçam… Mais que o simples turismo de Sol, de hotel e de praia.

As claves fundamentais:

  • La Palma é a ilha com actividade sísmica e vulcânica mais intensa do arquipélago das Canárias e integra o que se conhece por coroa laranja, onde se incluem as ilhas de Hierro, a segunda mais pequena de todas, e Tenerife a maior do conjunto. La Palma é a ilha vulcânica das mais jovens do arquipélago, contínua em formação. Desde a erupção do vulcão Teneguía em 1971, não se tinha registado atividade importante até 2017. Foi então que a movimentação sísmica se reactivou com diversas séries de terremotos, que se tornaram quase incessantes a partir de 11 de Setembro.
  • A força telúrica, juntamente com a deformação repentina do terreno, anunciava a erupção. Segundo o Instituto Geográfico Nacional de Espanha (IGN), foi possível registrar quase 7.000 tremores de terra, de pouca magnitude e intensidade, até a madrugada de domingo, dia 19, em que se inscreveram dois sismos acima dos 3,2 à escala de Richter. A monotorização sistemática que a comunidade científica – geólogos, vulcanólogos e sismólogos do mais alto nível mundial – faz no arquipélago revelou que o fenômeno sísmico foi “muito energético” e que libertou mais energia que a provocada pela erupção submarina de El Hierro em 2011 e que durou dois meses.
  • A actividade sísmica que começou em 11 de Setembro, 8 dias antes da erupção teve início uma série de abalos concentrados na zona sudoeste de La Palma. O enxame sísmico, como se designa esta concentração temporária de pequenos tremores de terra em uma só área, foi se localizando cada vez mais perto da superfície. Os abalos, que antes se registram a 20 quilômetros de profundidade, passaram a ser percebidos a cerca de 100 metros na semana que antecedeu a erupção do dia 19. O fenómeno juntamente com a insuflação ou inchaço da crosta terrestre da ordem dos 15 centímetros fez saltar o alarme: O magma estava a gerar rupturas a caminho do exterior.
  • Os governantes foram avisados, mas inexplicavelmente entenderam passar do Alerta Laranja para o Alerta Amarelo. Tranquilizaram-se as populações e apenas se evacuaram os mais vulneráveis, precisamente da área mais sinalizada pelos cientistas. A classe política falhou redondamente: Não podiam ter evitado o derrube das centenas de edifícios, mas tinham permitido que muitos dos cidadãos tivessem resgatado os pertences de maior valor e os testemunhos da história das suas vidas.
  • A ciência só pode antever a proximidade da erupção. Não consegue determinar o dia, a hora e o local exacto. Mas cumpriram com a sua missão, alertando para o que aí vinha. Em sinal contrário, a governança política foi incauta e inconsistente: Amedrontou-se e não teve a coragem de enfrentar a realidade para evitar sustos e descritibilidade caso a erupção não tivesse ocorrido nas 48 ou 72 horas seguintes, o que seria improvável como se demonstrou.
  • Pergunta-se, por que aconteceu nessa região?

Deve considerar-se a ilha de La Palma ovem em termos geológicos: Tem 1,5 milhões de anos, conquanto se tenha começado a formar sob o mar há 3,8 ou mesmo 4 milhões de anos. De qualquer modo, a ilha forma-se por duas partes absolutamente distintas: a do Norte, mais antiga e sólida; e a do Sul, mais jovem e em formação. O magma continua a sua função de ampliar a ilha na parte sul.


Erupção estromboliana: 1 – coluna eruptiva; 2 – lapilli; 3 – queda de cinza vulcânica; 4 – fonte de lava; 5 – bomba vulcânica; 6 – escoada lávica; 7 – estratos de lava e cinzas; 8 – estrato; 9 – dique; 10 – chaminé vulcânica; 11 – câmara magmática; 12 lâmina.

Deve-se deter que as últimas erupções dos últimos seculos entre os vulcões estrombolianos aconteceram no arquipélago das Canárias, em 1909 no Teide, San Juan, em 1949, o Teneguía em 1971, e em Hierro em 2011.

  • A erupção de 19 de Setembro aconteceu como a maioria das anteriores: Foi fissural, ou seja irrompeu como uma fenda e em diferentes pontos (chegou às 10 bocas) pelos quais emanam lavas, gases e outros materiais. Estas erupções acontecem agrupadas e alinhadas. No entanto, ao entrarem na fase matura de erupção, algumas dessas fissuras acabam por perder energia, são cobertas, e concentram toda a força de expulsão da lava em dois ou num único ponto. Sucedeu com o Teneguía, e com a erupção submarina em El Hierro, onde as medições e os submarinos mostraram uma fileira com pelo menos três cones por onde emanavam os materiais.
  • Miguel Ángel Morcuende, director técnico da PEVOLCA – Plano de Emergências Vulcânicas das Canárias – confirmou que na tarde de domingo, a zona centro do núcleo de Todoque, em Los Llanos de Aridane foi suplantada pela língua de lava. Este braço de lava, que correu muito lentamente nas 30 horas seguintes e acabou por fazer desaparecer a povoação e às 18:00 horas de segunda-feira, dia 27, o campanário da igreja colapsou, numa imagem verdadeiramente impactante.
https://www.20minutos.es/noticia/4834433/0/momento-lava-hace-colapsar-campanario-iglesia-todoque/
  • As sucessivas explosões desta erupção estromboliana acabaram por fazer romper o cone do vulcão. Mas pergunta-se o que é uma erupção estromboliana?

Trata-se de uma forma de vulcanismo caracterizado por explosões medianamente intensas separadas por períodos de acalmia de extensão variável em que a emissão é essencialmente efusiva. As erupções deste tipo caracterizam-se pela expulsão de cinzas e bagacinas incandescentes, frequentemente seguidas pelas chamadas ‘bombas vulcânicas’, que são matérias projectados a dezenas ou mesmo centenas de metros de altura. Nestas fases mais efusivas São bastante constantes as fontes de lava. A designação do tipo de erupção deriva do vulcão Stromboli, nas ilhas Eólias (Eolie), que mantém de forma regular erupções deste tipo ao longo dos últimos milhares de anos.

E cabe um parêntesis para esclarecer que o vulcão Teide na ilha de Tenerife – com uma altitude de 3718 metros e sensivelmente 7500 metros de altura sobre o leito oceânico – é o terceiro maior vulcão do mundo a partir de sua base e é um estratovulcão do tipo estromboliano. A sua última erupção data de 18 de Novembro de 1909. Está adormecido, obviamente não está inactivo. Teide é o pico mais alto da Espanha, e das ilhas do Atlântico.

La Palma tem 702 km2, o seu ponto mais alto é Roque de los Muchachos com 2.426 metros, um perímetro costeiro de 126 quilómetros, dista do continente africano 416 quilómetros e uma idade de 1,5 milhões de anos. Roque de los Muchachos encontra-se a Norte da ilha, é a zona mais antiga da formação da ilha ea mais estável. A Caldeira de Taburiente é uma cavidade vulcânica que se encontra praticamente inactiva e onde será muito pouco provável acontecer uma erupção
  • Nas erupções estrombolianas, as lavas emitidas são habitualmente mais viscosas do que as lavas das erupções do tipo havaiano, formando escoadas mais espessas e curtas, em geral acompanhadas pela produção de volumes consideráveis de piroclastos. Em La Palma, as escorridas chegam aos 12 metros de altura na forma de paredes em cunha e a lava mantém-se na ordem dos 1.000 graus centígrados. É confrangedor: Não há construções que resistam a estes impactos; caem como se de um baralho de cartas se tratasse.
  • Estima-se que liberte entre 30 a 50 milhões de toneladas de materiais entre vapor de água (o gás predominante) monóxido de carbono, dióxido de carbono, hidrogénio, azoto, ácido clorídrico e compostos de enxofre, também designado por dióxido de enxofre. Para se imaginar a grandeza, este volume equivale a 7.869 piscinas olímpicas (50 x 25 x 3,05 metros).
  • A superfície coberta pela lava é de cerca de 263 hectares, ou seja 2 630 000 de metros quadrados.
O mapa anexo mostra bem que o arquipélago das Canárias não está perto do limite da placa tectónica “Dorsal Centro Atlãntica”
  • As escoadas de lava destroem plantações de bananas com um índice de produção superior a 20.000 toneladas ano, significando receita superior aos 15 milhões de euros na base da produção e 34 milhões na distribuição. Mas é provável que os estragos sejam superiores por causa da destruição das tubarias subterrâneas de distribuição de água. La Palma é a segunda maior produtora de bananas do arquipélago, atrás de Tenerife, e o sector é determinante para o PIB da ilha representando mais de 60% da economia.
  • As ajudas do fundo de socorro europeu, da UE são oferecidas sempre que os estragos sejam iguais ou superiores a 1% do PIB da região afectada. La Palma será seguramente beneficiada já que 1% do PIB da Comunidade Autónoma das Canárias é de 400 milhões de euros e essa soma está ultrapassada pelos estragos já ocorridos.
  • Dia 27, a União Europeia (UE) activou o seu sistema de satélites Copérnico para seguir a erupção vulcânica de La Palma. Segundo Ursula von der Leyen, presidente do Executivo da Comissão Europeia, informou que a Comissão já está em contacto com as autoridades espanholas para oferecer apoio adicional.
  • Ante a espectativa de que a lava chegue ao mar nas próximas horas e afecte a zona costeira do município de Tazacorte, as autoridades ordenaram o confinamento de San Borondón, Marina Alta, Marina Baja e La Condesa. A decisão é para que se possa evacuar ordenadamente em caso de necessidade.
  • “Tajogaite” é um nome sugerido para o vulcão de La Palma. É o ponto onde se localizou a primeira fenda pela qual emergiu o magma, um lugar que, segundo a toponímia aborígine, significa Montanha Rachada.
Ministra do Turismo, a socialista Reyes Maroto, afirmou que a erupção em La Palma «é um espectáculo maravilhoso que pode servir como reclamo turístico»
  • Manhã do dia 20: Ministra do Turismo, a socialista Reyes Maroto, afirmou em directo nas televisões, que a erupção em La Palma «é um espectáculo maravilhoso que pode servir como reclamo turístico». Insensatez e incivilidade quase extremas perante a angústia de milhares de cidadãos. Surgiu-lhe a ideia do turismo vulcânico na Islândia, mas a governante desconhece que ali naquele país nórdico, não há residentes permanentes nas zonas de risco.
  • É completamente descabido afirmar que os gases – eminentemente vapores de água misturados com outras partículas e dióxido de enxofre – provocados pelo contacto da lava, a 1.100 graus, com a água do mar das Canárias (hoje, a 27º), possam aparecer nos céus da Península Ibérica, tão-só por que a coluna de vapores não subirá a altitudes imensas superiores aos 10 quilómetros. Presentemente o vento soprará de Nordeste e de Norte.
  • O mesmo contradiz as notícias de alguns Órgãos de Comunicação Social portugueses que noticiavam a possibilidade dos gases produzidos pelo vulcão chegarem ao arquipélago da Madeira, a 460 quilómetros. Aliás, os gases nem sequer se fazem sentir na Ilha de Tenerife, a 134 quilómetros de distância. E observemos: O vento planetário é a desgaseificação de elementos químicos leves a partir da atmosfera da nossa terra ou de qualquer outro planeta em direção ao espaço.
    • – por José Maria Pignatelli (Texto não está escrito ao abrigo do novo acordo ortográfico)

O filme em baixo realizou-se após estudos sequenciados de membros da comunidade científica de geólogos, vulcanólogos e sismólogos, há alguns anos e fez-se numa perspectiva do pior cenário de acordo com o facto de La Palma ser a ilha do Atlântico Norte com maior intensidade sísmica juntamente com a Islândia.

Televisão Espanhola e Televisão Canária oferecem o sinal em directo da evolução do vulcão de La Palma durante a noite.

https://rtvc.es/en-directo/
https://www.canarias7.es/canarias/la-palma/directo-senal-directo-20210920014723-nt.html

Faço da homenagem de Madonna a La Palma, a minha consagração.

Last night I dreamt of San Pedro

Just like I’d never gone, I knew the song

A young girl with eyes like the desert

It all seems like yesterday, not far away

Tropical the island breeze

All of nature wild and free

This is where I long to be

La isla bonita

And when the samba played

The sun would set so high

Ring through my ears and sting my eyes

Your Spanish lullaby

I fell in love with San Pedro

Warm wind carried on the sea, he called to me

Te dijo te amo

I prayed that the days would last

They went so fast

Tropical the island breeze

All of nature wild and free

This is where I long to be

La isla bonita

And when the samba played

The sun would set so high

Ring through my ears and sting my eyes

Your Spanish lullaby

I want to be where the sun warms the sky

When it’s time for siesta you can watch them go by

Beautiful faces, no cares in this world

Where a girl loves a boy, and a boy loves a girl

Last night I dreamt of San Pedro

It all seems like yesterday, not far away

Tropical the island breeze

All of nature wild and free

This is where I long to be

La isla bonita

And when the samba played

The sun would set so high

Ring through my ears and sting my eyes

Your Spanish lullaby

Tropical the island breeze

All of nature wild and free

This is where I long to be

La isla bonita

And when the samba played

The sun would set so high

Ring through my ears and sting my eyes

Your Spanish lullaby

La la la la la la la

Te dijo te amo

La la la la la la la

El dijo que te ama

PUB IMDENTALCARE