Histórias d’África – As Claves da semana…

PUB

Quantos cidadãos representam realmente os independentistas na Catalunha; o futuro da Plataforma Oceânica das Canárias; os números do SARS-CoV-2 e o calima que regressa em tempo de carnaval confinado.

As eleições de Domingo demonstram que os partidos independentistas da Catalunha representam 26,835% dos eleitores inscritos. Os três partidos pela independência da Catalunha com assento parlamentar obtiveram um total de 1.360.696 sufrágios de todos os 5.357.579 potenciais votantes. Ainda assim, a percentagem que consideramos inclui os 77.059 votos no PDCAT (PDeCAT), também independentista, republicano, mas liberal e europeísta que não conseguiu nenhum assento no parlamento.

Ora, os independentistas que poderão constituir o próximo governo daquela comunidade autonómica, mais uma vez por maioria parlamentar, deviam centrar-se na nova realidade que o escrutínio demonstra: No Domingo votaram 2.869.070 de um total de 5.357.579 cidadãos inscritos e que neles apenas elegeram 1.437.755 eleitores (incluindo os sufrágios no PDeCAT).

Portanto – e seguindo a linha de raciocínio de José María Aznar, presidente do Governo de Espanha entre 5 de Maio de 1996 e 21 de Agosto de 2004 – o número de votos nos partidos independentistas é escasso para se fazer acreditar no sucesso de um referendo sobre a independência da Catalunha.

Mas optaria por fazer fé numa nova corrente de opinião: Promover um referendo com voto obrigatório, para o sim ou não à independência e ao sistema constitucional, ou seja se uma república ou uma monarquia parlamentar, neste último caso mantendo o Rei de Espanha como Chefe de Estado da Catalunha independente, à semelhança do que sucede com algumas outras Nações relativamente à Rainha Isabel II de Inglaterra. Perante os factos, não é seguro que a maioria dos catalães queiram que a Catalunha se torne num Estado soberano fora da égide do Reino de Espanha.

Leia artigo anterior:https://noticiaslx.sapo.pt/2021/02/15/historias-dafrica-a-era-do-independentismo-meio-marxista/

Saiba que

A Plataforma Oceânica das Canárias (Plocán) integra um consórcio europeu que está a desenvolver um sistema flutuante multiusos capaz de fornecer electricidade e água potável a pequenas ilhas com populações abaixo dos dois mil habitantes, utilizando apenas energias renováveis. “Musica” é o nome do projecto liderado pela Universidade de Cork com parceiros espanhóis, irlandeses, do Reino Unido, franceses, alemães, gregos e malteses.

Plataforma Oceânica das Canárias, dando-lhe um carácter multiusos que possa abrigar geradores eólicos, solares e onda-motrizes (movidos pelas ondas). Simultaneamente pretende-se instalar uma unidade de dessalinização da água do mar, podendo mesmo transformá-la em água potável.

9 Milhões de euros é o orçamento inicial do projecto que, no essencial pretende comercializar a Plataforma Oceânica das Canárias, dando-lhe um carácter multiusos que possa abrigar geradores eólicos, solares e onda-motrizes (movidos pelas ondas). Simultaneamente pretende-se instalar uma unidade de dessalinização da água do mar, podendo mesmo transformá-la em água potável.

A primeira localização do protótipo será na Grécia, ao largo da costa de Innouses, uma ilha com cerca de 800 habitantes no Mar Egeu.

Musica”é a abreviatura em inglês da expressão «Utilização múltipla do espaço para a autonomia limpa da ilha».

Saiba que

O Numero de contágios está estacionário ou em fase decrescente em todo o continente europeu, mas os falecidos mantêm-se ou aumentam. Por exemplo em Espanha morreram 702 pacientes de SARS-CoV-2 no final de semana enquanto se registaram 30.251 novos contágios Já no arquipélago das Canárias registaram-se apenas 189 novos casos e a registar-se, infelizmente, mais a perda de uma vida, enquanto se anunciam um total de 43.371 vacinados por completo, ou seja com as duas doses

A relação entre o menos número de infectados e o crescendo de falecidos é um facto percepcionado pela comunidade de profissionais de saúde, em virtude das novas variantes do vírus – a britânica, brasileira e Sul-africana – que se mostrarem mais agressivas e letais, como também capazes de infectar os mais jovens, incluindo crianças mantendo-as em estado assintomático. Aliás, já se anunciam que a estirpe britânica estará presente em 83 países como também foi detectado um importante núcleo de contágio com a variante Sul-africana na cidade austríaca de Tirol.

Por outro lado, estas cepas e outras que poderão surgir por mutação do vírus como resposta à maior imunidade das comunidades, aconselham o incremento das campanhas de vacinação, já que as inoculas de mRnA se mostram menos eficientes relativamente às novas estirpes.

A última actualização indica que a média diária de contagiados nos últimos 7 dias atingiu 411.688 pessoas.

Desde que se iniciaram as estatísticas, o número de óbitos por SARS-CoV-2 eleva-se a 2.405.546 de pessoas, para um total de 109.067.558 de contaminados dos quais foram recuperados 61 277 452 cidadãos.

Saiba que

Terça-feira, o arquipélago das Canárias estará sob aviso de calima que provocará poeiras em suspensão que deverão reduzir a visibilidade em 3.000 metros. Assim, aconselha-se prudência na circulação rodoviária nas auto-estradas, onde o limite é de 120 Km/h pela consequente redução da visibilidade com o aumento da velocidade.

Já esta segunda-feira a visibilidade máxima nos aeroportos era de 3 quilómetros em Lanzarote, 5 quilómetros em Fuerteventura e 7 quilómetros em Gran Canaria.

Segundo a Agência Estatal Meteorológica – AEMET – uma massa de ar frio em altura a partir de quarta-feira, baixará as temperaturas o que significará uma menor intensidade das poeiras na atmosfera ainda que mais baixas em altitude.

– por José Maria Pignatelli (Texto não está escrito ao abrigo do novo acordo ortográfico)

PUB IMDENTALCARE